IGREJA MATRIZ DE

VILA VELHA DE RÓDÃO

 

Esta Igreja é dedicada a Nossa Senhora da Conceição.

A sua construção foi iniciada em 1595, no período em que se vivia a transição para o Barroco.

A construção deve-se aos cavaleiros da Ordem de Cristo, herdeiros dos bens da Ordem dos Templários.

A sua arquitetura, imponente para a época, é formada por três naves, sendo as laterais, mais estreitas que a central.

Toda a arcada assenta em quatro pares de colunas, em granito que separam a nave central, das naves laterais.

Cada uma das naves laterais têm, no topo um altar, em talha dourada.

No seguimento do eixo da nave central está o arco abatido que separa esta nave, da capela-mor(ou ábside).

O altar-mor, peça de especial beleza, é de granito trabalhado, frente a um retábulo em talha dourada, onde está inserido o sacrário, também dourado.

Pelos anos de 1967, foram feitas grandes obras nesta igreja. Na opinião de alguns paroquianos, fizeram-se muitas melhorias, de salientar: a substituição e construção do altar-mor, em granito, já referido; a remoção de um coro de madeira, em ruínas, por cima da entrada principal; a limpeza das colunas em granito que estavam caiadas de branco; a substituição do chão de madeira, por tacos em azinho, na nave central; e substituição do chão de madeira, por cantaria de granito, nas naves laterais, entrada e capela-mor.

Neste restauro, também alguns erros crassos foram cometidos, a salientar: a remoção de um púlpito, junto à segunda coluna da nave, lado esquerdo e a substituição da pia batismal que seria a pia original, datada dos finais do século XVI, agora substituída por outra, em granito polido, muito bonita, mas fora de contexto histórico da igreja. Está escondida, atrás da imagem do Senhor dos Passos.

Objetos de arte sacra antigos - imagens, quadros, paramentos, joias, livros - pouco ou nada existe, nem tampouco relatórios que provem que tenham existido.

Graças à Câmara Municipal e Celtejo, estão a decorrer neste momento (finais de 2016), obras de beneficiação, em todo o edifício da igreja e grande remodelação da sacristia e respetivos sanitários.

Existiram, na vila, além da Igreja Matriz, três capelas que foram desmoronadas pela fúria republicana de 1910, sob o pretexto de não serem necessárias para alimentar a fé do povo, não tendo esta decisão encontrado oposição por parte dos cristãos de então: a capela de Santo António, junto ao cemitério; a capela de São Pedro, do lado esquerdo do Centro Municipal de Cultura e a capela de São Sebastião, no Largo do Mártir. Quem terá ficado com o espólio dessas capelas?

Tantas coisas que se perderam, por maldade de uns e incúria de outros!

 

   

GALERI D FOTOS

 

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *