Subsídios para a História de FRATEL

Subsídios para a História de V. V. RÓDÃO

Antes, ALFRÍVIDA  - Depois, PERAIS

 

  

Música de fundo: Nª Sª da Alagada - Popular. Harm. de A. Escarameia

 

P  E   R   A   I   S

(Subsídios para a História

 

 

A freguesia de Perais é recente.

Vamos à história.

Estava-se em 1758.

O então pároco de Alfrívida, Cura Manoel Dias, dá-nos a situação daquela paróquia, num documento escrito a pedido pelo Marquês de Pombal.

Naquela data, o lugar de Alfrívida tinha 11 fogos e 36 pessoas. Esta freguesia, além da sede em Alfrivida, tinha como única povoação o lugar de Monte Fidalgo.

A igreja paroquial tinha três altares. Um era dedicado a Santo António e os outros dedicados, respectivamente a Nossa Senhora do Rosário e Santo Nome de Deus. Tinha mais duas ermidas, uma de S.Miguel e outra de Nossa Senhora dos Remédios. À ermida de Nª Sª dos Remédios vinha muita gente de romagem, em todo o tempo do ano, principalmente desde o dia de São Bartolomeu (24 de Agosto) até dia de Todos os Santos.

O referido pároco, nesta data, era cura anual, tinha de renda setenta alqueires de trigo e quinhentos réis para vinho e hóstias.

O correio era feito a partir de Castelo Branco.

Em 21 de Março de 1771, foi criada a diocese de Castelo Branco, na qual foram integradas as paróquias da região. Nem sempre esta diocese teve bispo residente.

No princípio do séc. XIX a distribuição da rede concelhia encontrava-se numa situação caótica, a nível nacional. Por decreto de 6 de Novembro de 1836, o concelho de Vila Velha de Ródão foi extinto, como tantos outros. No entanto, em 1842, pelo Código Administrativo de 18 de Março, viria a ser restaurado, para gáudio dos seus habitantes. Foi neste contexto e nesta altura que as povoações de Perais, Vale de Pousadas e Coutada foram desanexadas da freguesia de Vila Velha de Ródão, passando para a freguesia de Alfrívida.

Em 1879, a Diocese de Castelo Branco era governada pelo Vigário Geral Joaquim José Pombo, tendo como Administrador Apostólico, o Cardeal Patriarca de Lisboa.

Nesta altura, o estado da Igreja de Alfrívida não estaria em boas condições de conservação, donde, o pároco, de nome Izidoro Gomes Ruivo, terá pedido ao Vigário Geral a transferência da sede da freguesia de Alfrívida para a vizinha povoação de Perais que tinha em construção uma capela e um cemitério contíguo.

O pedido do pároco foi aceite, tendo o Vigário Geral passado uma Provisão, a 09 de Abril de 1879, em que se declara que de futuro, a nova Matriz da freguesia de Alfrívida seria a Igreja de Perais.

Teor da Provisão: "Aos que esta minha Provisão virem, saúd e paz para sempre.

Faço saber que, attendendo as informações que me foram dadas pelo actual párocho da freguesia de Alfrívida desta Diocese, e visto achar-se a Egreja ultimamente edificada no povo dos Peraes para servir de Matriz da dita freguesia de Alfrívida em estado de n'ella poderem ser celebrados os Officios Divinos; e bem assim achar-se o cemitério contiguo à nova Egreja em condições de n'elle se poderem faser os enterramentos dos fiéis defuntos da mencionada freguesia; por esta minha Provisão autorizo o Revdº Párocho acualmente encarregado de parochiar a freguesia a proceder à benção da ditta Egreja e de seu Cemitério conforme o ceremonial para isso estabelecido. CONCEDO, porem, que o enterramento dos defuntos do povo de Alfrívida continuem a ser feitos no Cemitério do ditto povo; e que na antiga Egreja de Alfrívida se conserve a Imagem de S. Miguel assim como os paramentos necessários para ahí se poder celebrar o Santo Sacrifício da Missa conforme a devoção dos fiéis.

Auctorizo igualmente o mesmo Revdº Parocho a poder remover processionalmente e com o possível apparato da antiga Egreja de Alfrívida para a nova dos Perais, o Santíssimo Sacramento, Imagens e Alfaias do Culto Divino.

Dada na Câmara Ecclecª da Diocese sob meu signal e Sello de que uso aos 9 de Abril de 1879.

Eu Pedro de Mello Coutinho, escrivão interino a escrevi.

Joaquim Jose Pombo

O Parocho Izidoro Gomes Ruivo

 

O pároco de Alfrívida respondeu da seguinte maneira:

"Dou conhecimento a V. Exa que no dia 17 do corrente mês, procedi à Benção da Nova Matriz dos Peraes e seu Cemitério acompanhado do Presbytero, Pe. Martinho Batista.

Outrosim que neste mesmo dia se fez a remoção  das Imagens processionalmente da Egreja de Alfrívida para a nova Egreja Matriz dos Perais com decencia e respeito, celebrando o Santo Sacrifício da Missa em louvor do Culto Divino.

Deus guarde a V. Exca. Perais, 19 de Abril de 1879

O Parocho Pe Izidoro Gomes Ruivo.

 

........ Há mais novidades de interesse sobre a história desta freguesia.

 

 

 
 

Em construção