DA MINHA VARANDA - III

 

Na minha varanda, sentado no meu cadeirão, obervo com atenção o que se passa à minha volta: um bando de pardais atrevidos mas desconfiados, esvoaçam à procura de algumas migalhas de pão que eu, propositadamente, espalhei pelo espaço envolvente. Mais ao lado, um grupo de andorinhas esvoaçam a uma velocidade vertiginosa e rasante à calçada da rua.

Só eu, aqui confinado!...

Enquanto observo este espetáculo, ouço atrás de mim, num dos canais da TV , alguém discursar sobre o Dia do Trabalhador. É tanta a euforia da discursante, que até os meus pardais se dispersam, assustados. Entre os vários slogans, ouço: “Este dia é criação do 25 de Abril”.

Quem viveu antes do 25 de Abril sabe que esta afirmação não é totalmente verdadeira. Recordo que, no centro do país, a maioria das empresas já viviam este dia em são convívio com os seus trabalhadores, em almoços de confraternização, onde não faltava  a música do gira-discos e o bom tinto da região. Era a festa dos empresários com os seus cooperadores. Com o 25 de Abril, este dia foi declarado feriado nacional, e fê-lo com justiça, em homenagem a todos os trabalhadores. Mas, a confraternização, parece ter-se perdido.

 

Dia 1 de Maio. Dia do Trabalhador. Mas, quem é trabalhador? Sim, somos todos nós que trabalhamos, que dedicamos o nosso esforço na realização das mais variadas tarefas. Trabalhador é o escravo, o servo, o artesão, o operário, o artista, o patrão que gere o seu negócio ou a sua empresa industrial. Trabalhador é também aquele que gasta a sua vida ao serviço dos outros, nas autarquias, na Igreja, nas instituições, nos hospitais...  Trabalhadores são aqueles que, ontem e hoje, gastaram a suas vidas, vertendo os seus suores, nas mais duras profissões, para a legítima sustentação do seu agregado familiar e para o crescimento económico do seu país.

 

Não são trabalhadores os que, podendo trabalhar, voluntariamente nada fazem, nem fizeram e que vivem exclusivamente do rendimentos daqueles que trabalham. São os parasitas da sociedade. Destes, não é este dia, 1 de Maio.

 

Na liturgia da Igreja, este dia é dedicado a São José que também foi operário. Daí a invocação de “São José Operário”.

Na passada quarta feira, o Papa Francisco, dirigindo-se a um grupo de peregrinos franceses disse: “Na próxima sexta-feira, será celebrada a festa de São José Operário. Por sua intercessão, confio à misericórdia de Deus as pessoas que estão desempregadas por causa da pandemia atual", afi rmou o Papa Francisco.

Que o Senhor seja a providência de todos os necessitados e nos encoraje a ajudá-los”, concluiu.